Os bons ventos das mudanças

Bienvenu à Trudeauland
Eram 5 horas da madrugada do último dia 20 quando eu, voltando de uma viagem relâmpago ao Brasil, pus os pés no terminal do aeroporto de Toronto.
Ao primeiro sinal de wi-fi, entrou pelo “zap-zap” a mensagem de uma pessoa querida dizendo: “Bem vinda à Trudeauland!”

Foi assim que eu fiquei sabendo o resultado da eleição. E naquele momento, uma enorme alegria tomou conta de mim e mandou boa parte do cansaço da longa viagem pro espaço!
(não, não foi anunciado durante o vôo da AC. Eles anunciam resultado de hockey, mas eleição não. #CanadianPriorities)

Alguns minutos depois, na entrada do vôo para Montréal, já estava lá o jornal com uma capa linda, que fiz questão de guardar como recordação desse momento histórico: Justin Pierre James Trudeau, filho do notável falecido ex-Primeiro Ministro Pierre Elliot Trudeau (que dá nome ao aeroporto de Montréal), fora eleito Primeiro Ministro do Canada e seu partido levara a maior parte das cadeiras do parlamento.

No dia em que assumir, Justin Trudeau, como é mais conhecido, será o segundo mais novo PM da história do Canada e o primeiro filho de um ex-PM a se eleger.

 

Minha alegria imensa tem várias razões:

A primeira é que assim como muita gente, eu não via a hora de me livrar do governo Harper. Governo que especialmente nos últimos 4 anos, desde que obteve maioria no congresso, aprovou leis absurdas e passou sobre o direito dos cidadãos como um trator.
Eu poderia escrever um post gigantesco falando dos porquês de achar que o Harper merecia sair, mas a Madame Heringer  já fez isso tao bem em julho, que eu não vou gastar latin e correr o risco de estar parafraseando-a porcamente. Resumo minha parte dizendo que o que ela viu (e escreveu) é o mesmo que muita gente também estava vendo, daí o resultado nas urnas.

A segunda razão, é que eu realmente acho que alternância de poder é importante para a democracia e para a criatividade.

A terceira razão, é por causa das minhas convições mesmo:
Durante a campanha, minha ânsia de ver esse governo fora era tanta que me fez aceitar que talvez tivesse mesmo que deixar de lado minhas crenças e me tornar mais um eleitor estratégico, apelidado nas redes de eleitor ABC (Anyone But Conservatives – ou em português: Qualquer um menos os conservadores).

Embora nenhum partido ou candidato seja perfeito, meu perfil é mais liberal mesmo (sera que o fato de eu ser ADM-COMEX tem alguma ligação com isso? 😉 ), então é claro que eu torcia para os liberais ficarem à frente nas pesquisas de maneira que os ABC’s concentrassem os votos nele.
Felizmente, ao final da campanha, a estratégia dos Conservadores de querer desacreditar o Trudeau dizendo que ele era inexperiente acabou gerando o efeito contrário: os ABC’s entenderam que o fato do Trudeau não ser uma velha raposa da política, ele pareceu ser a melhor opção para realizar uma verdadeira mudança. Além disso, sua plataforma ousada e em alguns pontos até polêmica, foi defendida por ele com paixão, enquanto Mulcair, o outro opositor, mudava de discurso conforme mudava de platéia, minando assim a confiança dos muitos dos possíveis eleitores dele.
Não sei se Trudeau fará um bom governo ou não. Mas acredito que tendo tido como exemplo um pai que foi um político brilhante, cujo legado é responsável pela imagem do Canadá moderno e inclusivo (e que nos inspira a vir morar nessa terra!), o jovem Trudeau deve realmente ter em si valores que para a maioria de nós, imigrantes, sejam tão importantes, como a valorização do multiculturalismo.
De qualquer forma, observar como muita gente amanheceu mais esperançosa e otimista é priceless!

Ver Trudeau ir comprimentar os eleitores de seu distrito eleitoral em vez de ir “descansar” no dia seguinte a eleição, dá uma satisfação enorme de viver no Canadá. Para uns, esse ato não passou de populismo, mas eu acho que não. Em geral, aqui, os representantes são extremamente acessíveis, como já comentei em diversos posts aqui no blog. Durante a campanha, por exemplo, soube pela rádio de um eleitor que convidou o candidado de sua cidade para um happy-hour em sua casa para que o candidato tentasse convencer esse eleitor e a seus amigos porque eles deveriam votar naquele candidato. E o candidato foi mesmo, viu?

Para terminar, deixo aqui o link de um post antigo, onde aparecemos junto ao Justin Trudeau e um de seus filhos (que era seu único filho na época):
http://www.leslapins.ca/2008/10/06/justin-trudeau/

JustinTrudeau 2008

Quando esse post foi escrito, éramos recém chegados no Canadá e não tínhamos noção quase alguma da política local (aliás eu nem tinha me ligado que o nome do moço da foto tinha algo a ver com o nome do moço do aeroporto, abafa…). E ele era igualmente novo na política: seria eleito deputado pela primeira vez uma semana depois que fizemos essa foto juntos. Assim como ele, estávamos iniciando um novo tempo em nossas vidas e desde então, nesses 7 anos, todos aprendemos e mudamos muito. Nós aprendemos, com Canadenses daqui e d’ailleurs, aprendemos até com o próprio Trudeau, da importância do bilingüismo, da beleza de uma Canada unido, do valor de praticar no dia-a-dia o respeito as multiculturas, e até mesmo que nossos vizinhos não são nossos inimigos. Que conhecer o outro pode aniquilar nossos preconceitos mais profundos. E que otimismo ainda é o melhor anti-rugas que existe!

E acima de tudo: Que a Canadian is a Canadian, is a Canadian is a Canadian!

Que as mudanças continuem acontecendo, e que sejam sempre para melhor!

Edicao Historica eleiçao Justin Trudeau

Abraços
Lapin-Mère
21.10.2015

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s