Série sobre saúde no QC vista “por dentro” – Terceiro episódio

Essa semana o episódio de Soins Intensifs abriu e fechou com a seguinte frase, dita pela enfermeira Penelope Boucheault, da ong Médecins du Monde du Canadá:
L’accès aux soins, là; tout le monde devrait avoir le droit d’être soigné, mais la structure qui est en ce moment n’est pas faite pour accueillir tout le monde, mais tout le monde a le droit d’avoir des soins.
Traduzindo livremente: “Os acessos os cuidados (médicos) todo mundo deveria ter acesso, mas a estrutura que está ai não está preparada para acolher todo mundo, mas todos tem esse direito.”

E a jornalista Claire Lamarche continua (ainda em tradução livre):
A margem das instituições, às “enfermeiras de proximidade” são uma nova “ferramenta” do sistema para atender as comunidades não atendidas (ou mal atendidas) pelo sistema:
– os moradores de rua
– os trabalhadores do sexo
– os dependentes químicos
– os imigrantes *
Para ter sucesso em atingir essa clientela vulnerável e difícil de cuidar é necessário oferecer um atendimento que respeite a maneira de viver dos marginais (da sociedade) e seus medos em relação a um sistema que pode facilmente se virar contra eles.

Gostei muito desse episódio, para mim foi um épisódio “alargador” de horizontes.
Para conferí-lo: http://video.telequebec.tv/video/9769/dans-la-rue

Além disso a personagem principal tem a maneira de falar exatamente igual a de 90% dos casos dos québecoises com quem tenho contato, nas mais diversas situações. Aqueles que falam:
“ãrr”, em vez de “ã”  (número 1 em francês)
“pêrr” em vez de pê (peu = pouco em francês)
“gifé” em vez de gê-fé (je fais = eu faço em francês)

Ou seja, ótimo para quem quiser conhecer e treinar o ouvido.

Abraços
Lapin-Mère
28/01/2012
Episódio anterior: http://bit.ly/AdYr6Q

 

* Os imigrantes citados na reportagem são aqueles que estão aqui sem um status que os dê direito a fazer uso do sistema de sáude pública, geralmente pessoas que já pediram visto de residência mas que ainda aguardam sua concessão.

5 comentários sobre “Série sobre saúde no QC vista “por dentro” – Terceiro episódio

  1. engraçado pois assisti um video ontem feito por um cearense em Calgary… Meu Deus que é aquilo. O hospital infantil de Calgary dá de dez no Santa Catarina de São Paulo. Assim vou dar adeus no SSaúde Bradesco que ainda não tive a chance de provar. ahahaha
    Québec para que está meio relaxado com a saúde e infraestrutura. Vamos trabalhar minha gente, vamos trabalhar políticos. E o Brasil? Imagine o que eu imaginei…..

  2. Pena que não é possível baixar esses vídeos para treinar a compreensão oral.

    1. Oi Thiago,
      Nem foi a intençao, rsrs…Mas olha, cá entre néos, tem muito brasileiro que vem pra cá sem visto de residente achando que nao fazem parte dos imigrantes citados na reportagem. Só nao faz se tiver um bom seguro de saúde que cubra aqueles gastos e muitos outros que citei num post recentemente (um tablea de um hospital com custos de internaçao…).
      abraços
      Erika

  3. Meu francês ainda não está lá essas coisas, mas foi mais complicado entender o que essa enfermeira estava falando 🙂

    Quanto ao download está em andamento. Deu um trabalho do cão mas estou conseguindo baixar os episódios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s